quinta-feira, agosto 5, 2021

Relato de um empregador: O dishwasher de New Jersey.

Newark, NJ – Muitas pessoas que tem o sonho americano perguntam como os trabalhadores indocumentados, também conhecidos como ilegais, conseguem trabalho nos Estados Unidos. Geralmente sobram os trabalhos braçais na construção e restaurantes, veja o relato de um empregador americano que contratou um dishwasher brasileiro em Newark, NJ e soube reconhecer a proatividade e boa vontade do povo brasileiro. Trabalho indocumentado EUA.

Por Fred Gallo,

Depois da pós-graduação eu caí na gestão de restaurantes porque o dinheiro era ótimo. Abri um novo restaurante italiano em 2000 e o pessoal era difícil. O salário mínimo era de $6/hr. Eu estava ganhando $18/hr. como gerente geral, meu assistente estava ganhando $16/hr. e meu terceiro gerente estava fazendo $15/hr.

Não tínhamos funcionários da cozinha, então começamos a contratar. Acho que tinha uma dúzia de hispânicos usando a mesma id. Eu ainda não entendo como eles sacavam seus cheques.

Fazíamos nossas pizzas em um forno de madeira que exigia um pouco de manutenção. A pessoa entrava e limpava o forno, cortava madeira, empilhava a madeira, e servia como um “busser” durante o almoço. Também tivemos um funcionário da manutenção que veio limpar o chão, limpar os banheiros, lavar as janelas, e também servir durante nosso horário de almoço.

Finalmente, eu tinha um novo dishwasher chamado Everton; ele tinha minha esposa de volta ao Brasil e sete filhas que ele estava colocando em escola particular. Ele trabalhou da AM até as 14:00 comigo e foi até o Walmart a 3 milhas de distância para trabalhar no turno das 15:00 às 23:00. Ele vendia itens na rua no Brasil então ele estava em boa forma e muito trabalhador.

Várias semanas depois que abrimos o cara que cortou a madeira saiu e não conseguimos preencher o trabalho. Pedi aos meus dois assistentes para cortarem a madeira (o que eu estava fazendo também) e ambos me disseram “não”. Uma manhã, quando eu estava cortando madeira para o dia, Everton apareceu cedo, e pegou o machado da minha mão, indicando que ele tinha “este” trabalho e para eu voltar a gerenciar. Eu deixei. Depois de uma semana dele fazendo os dois trabalhos, dobrei o salário dele para 12 dólares.

Algumas semanas depois, o cara que fez toda a manutenção da limpeza parou e não conseguimos preencher o cargo. Pedi aos meus assistentes para subirem, entrarem mais cedo, (como eu estava fazendo), limpar o chão e limpar os banheiros. Eles recusaram.

Um dia, antes da abertura, eu estava limpando o chão e Everton apareceu ainda mais cedo do que antes, pegou o esfregão da minha mão e acenou para eu ir lidar com coisas mais importantes. Eu fiz. E adicionei mais 6 dólares ao salário por hora dele. Ele agora estava fazendo exatamente o que eu era por hora (US $ 18), e dois e três dólares a mais por hora do que meus gerentes assistentes.

Meus dois gerentes assistentes logo se depararam com a folha de pagamento e ficaram mortificados que o simples dishwasher estava ganhando mais do que eles. Eles sugeriram que rebaixássemos o Everton para 6 dólares por hora e pegarmos os $12 adicionais por hora e dividimos entre nós três; Eu não faria nada disso. Eu disse a eles que Everton estava fazendo três empregos de salário mínimo e o fato de que ambos se recusaram a limpar pisos, limpar banheiros, cortar madeira, limpar o forno, mesas ou lavar pratos, então eles não mereciam um aumento.

Ameaçaram me demitir como gerentes e tentaram me chantagear. Eu disse a eles, se eles fizessem isso, então eu teria que ensinar inglês everton e treiná-lo como fazer ambos os seus trabalhos. Eu adicionei e disse: “Ele está atualmente ganhando $18 por hora; se você adicionar ambos os seus salários nele ele vai estar fazendo $47 por hora. Você realmente quer ver isso?

Eles não desistiram, mas estavam chateados. Eles notificaram o escritório regional para que soubessem o que estava acontecendo. Meu gerente regional ficou chocado por eu pagar 18 dólares por hora à meu dishwasher e ameaçou me demitir. Eu disse a ele que ele não teria que me demitir e que eu desistiria se ele mudasse o salário do Everton. Eu disse a ele que ele estava fazendo três trabalhos e merecia ser pago por eles de forma justa. Ele não me demitiu e eles (Corporativo) deixaram o Everton manter o emprego com o salário que eu tinha dado a ele.

Eu nunca fui capaz de me comunicar com Everton e ele nunca foi capaz de se comunicar comigo porque nenhum de nós falava a mesma língua. Ainda assim, isso não nos impediu de sair, tomar umas cervejas, e assistir jogos de futebol sentados no bar nos fins de semana. Eu comprava uma rodada e ele me comprava uma rodada. Nos comunicamos através do discurso do “homem das cavernas”, com muitos gestos faciais e de mão. Mas eu prefiro sair com ele do que qualquer um dos meus outros colegas de trabalho, porque ele sempre me apoiou enquanto muitos dos outros não.

Eu tive que passar para um novo emprego em um ponto e na mesma semana eu tinha comprado um carro e estava me preparando para vender minha velha perua Volvo. Everton chegou atrasado ao trabalho um dia e me disse que sua picape havia sido roubada na noite anterior. No dia seguinte, entreguei o título ao Volvo junto com as chaves. Ele me abraçou por muito tempo, com uma lágrima no olho ele me desejou boa sorte no meu novo trabalho, mas eu não tinha ideia do que ele estava dizendo. Eu ainda sinto falta do cara 20 anos depois e me pergunto como suas filhas que ele estava trabalhando tão duro se revelaram.

Related Articles

SIGA-NOS NAS REDES

8,320FansLike
2,535FollowersFollow
343FollowersFollow

LEIA TAMBÉM

error: Já faz parte de nosso grupo no Telegram?