Muitos estudantes que estão terminando ou já concluíram o ensino médio sonham com as vagas em universidades no exterior. Com isso, muitas  universidades norte-americanas viram destino cobiçado e cada vez mais procurado. Dados do Institute International of Education (IIE) apontam que houve um crescimento de 22% desde 2012. Para ingressar em uma universidade nos Estados Unidos primeira você tem que fazer um application. O application avalia o estudante por meio de redações que ele escreve (as essays), pelo currículo escolar, cartas de recomendação, prêmios, entrevistas e provas. Veja algumas dicas para você aumentar suas chances de ser aceito em uma universidade americana.


1 – Crie um planejamento e entenda como funciona o processo seletivo 
Comece criando um planejamento de estudos, pois cada universidade tem exigências diferentes no processo seletivo. Entenda exatamente o que as instituições exigem para um aluno estrangeiro. 
  • As perguntas nos testes norte-americanos são mais diretas e precisam ser respondidas com mais agilidade. Faça simulados, treine seu controle e sua agilidade em uma prova rápida. 
  • Faça provas antigas, veja redações que foram aprovadas para entender a estrutura de texto valorizada. 
2 – As notas na escola precisam ser boas 
Nas seleções para universidades norte-americanas, o histórico escolar tem peso. Por isso, tente ser um aluno nota dez.

3 – Destaque-se em atividades extracurriculares 
Ter boas histórias para contar vai ajudar, e muito, na hora das entrevistas e redações. Os americanos valorizam muito essas atividades, seja participação em clubes escolares como o de teatro, coral, esportes, olimpíadas escolares…

4 – Junte documentos com antecedência 
Cartas de recomendação dos seus professores também costumam pesar na hora das avaliações das universidades.Peça aos professores que sejam bem específicos quanto as suas qualidades. 
Dica: não liste notas e prêmios nas cartas

5 – Dinheiro: fique atento às oportunidades de bolsas de estudos 
Ter dinheiro não é fator preponderante, por isso não desanime. Para estudar no exterior é possível se inscrever e estudar lá sem precisar pagar nada. Existe o programas como o Prep Scholars também podem dar uma mão para quem quer ir para o exterior. Fique atento aos prazos!

6 – Estude inglês 
Parece óbvio, mas não é. Um conhecimento avançado da língua inglesa é pré-requisito para quem deseja estudar no exterior. Ser fluente também vai ajudar na hora de colocar as ideias em uma redação ou na entrevista. Não precisa ser um inglês impecável como de um nativo, mas pelo menos o suficiente para conseguir passar em uma prova do TOEFL (teste de proficiência de inglês) – a nota mínima é 61 pontos de 120. Se você pode passar um tempo no exterior para reforçar idioma, ótimo – caso contrário, use a leitura, assista a filmes e treine com outros falantes.

7 – Seja natural na entrevista 
O momento final da avaliação é entrevista. Se você chegou até lá, precisa manter a calma.